A VER­DA­DE SOBRE A CAR­NE DE POR­CO

MUI­TOS MITOS ESTÃO ENVOL­VI­DOS NO CON­SU­MO DES­TE TIPO DE PRO­TEÍ­NA. A SADIA TRAZ DADOS PARA MOS­TRAR QUE ESSA É UMA ALTER­NA­TI­VA SAU­DÁ­VEL

CON­SU­MI­DOR MODER­NO EM COLA­BO­RA­ÇÃO COM A SADIA

s indi­ví­du­os têm toma­do cada vez mais cons­ci­ên­cia sobre a pró­pria saú­de. Segun­do a Euro­mo­ni­tor, nos últi­mos cin­co anos, o seg­men­to de ali­men­ta­ção sau­dá­vel regis­trou um cres­ci­men­to médio de 12,3% ao ano. A esti­ma­ti­va é de que este setor con­ti­nue cres­cen­do cer­ca de 4% ao ano até 2021. Um levan­ta­men­to da Fede­ra­ção das Indús­tri­as do Esta­do de São Pau­lo (FIESP) refor­ça esse pon­to de vida ao mos­trar que oito a cada dez bra­si­lei­ros se esfor­çam para ter uma ali­men­ta­ção sau­dá­vel den­tro e fora de casa. E, ao con­trá­rio do que alguns podem pen­sar, a car­ne suí­na é uma gran­de opção nes­se sen­ti­do.

   A pro­va dis­so é que há uma gran­de diver­si­da­de de cor­tes suí­nos, que tra­zem um gran­de per­cen­tu­al de pro­teí­na de alto valor bio­ló­gi­co e bai­xa quan­ti­da­de em gor­du­ras – como o lom­bo, a alca­tra e o filé-mig­non. Além dis­so, a car­ne de por­co é uma das prin­ci­pais fon­tes de cre­a­ti­na, que auxi­lia no ganho de mas­sa magra e no desem­pe­nho em ati­vi­da­des físi­cas. A car­ne tam­bém é rica em ami­noá­ci­dos essen­ci­ais, que só são obti­dos por meio de ali­men­tos, como a leu­ci­na, a vali­na, a tre­o­ni­na e a lisi­na.

   A car­ne suí­na é tam­bém fun­ci­o­nal: fon­te de fer­ro, potás­sio, zin­co, fós­fo­ro e selê­nio, ela é rica em vita­mi­nas como a B12 e pos­sui mais vita­mi­na B1, B3 e B6 do que outros tipos de pro­teí­na. O lom­bo suí­no, por exem­plo, for­ne­ce 31 gra­mas de pro­teí­na a cada 100 gra­mas e ape­nas 3 gra­mas de gor­du­ra, além de ter bai­xo teor de coles­te­rol.

A Sadia tem inves­ti­do em ino­va­ção e no desen­vol­vi­men­to de pro­du­tos, pri­o­ri­zan­do qua­li­da­de, sabor e valor agre­ga­do

AOS OLHOS DO CON­SU­MI­DOR

   Para o cli­en­te, as van­ta­gens são vari­a­das: essa é uma car­ne sau­dá­vel, ver­sá­til, sabo­ro­sa e com um bom cus­to-bene­fí­cio. O pre­ço, inclu­si­ve, é vis­to pela Sadia como o fator que tor­na essa pro­teí­na mais aces­sí­vel do que as outras.

   Para agre­gar valor a este pro­du­to, a Sadia tem inves­ti­do cons­tan­te­men­te em ino­va­ção e no desen­vol­vi­men­to de novos pro­du­tos, pri­o­ri­zan­do a qua­li­da­de, o sabor e mai­or valor agre­ga­do. “Que­re­mos que o con­su­mi­dor tenha toda a faci­li­da­de em encon­trar uma linha com­ple­ta de car­ne suí­na e veja como é uma pro­teí­na demo­crá­ti­ca, sen­do uma óti­ma opção que agra­da a dife­ren­tes bol­sos e pala­da­res”, acres­cen­ta Cecí­lia.

   As opções de car­ne suí­na dis­po­ni­bi­li­za­das pela Sadia repre­sen­tam tam­bém uma manei­ra de ampli­ar o reper­tó­rio do con­su­mi­dor. Com os pro­du­tos, o cli­en­te pode vari­ar o car­dá­pio, desen­vol­ven­do novas ver­sões de recei­tas do dia a dia, como estro­go­no­fe de alca­tra suí­na ou pica­di­nho de car­ne suí­na.

LAN­ÇA­MEN­TOS

   De acor­do com a geren­te-exe­cu­ti­va de Mar­ke­ting da Sadia, Cecí­lia Ale­xan­dre, a mar­ca segue em con­ta­to pró­xi­mo do con­su­mi­dor e, enten­den­do a pro­cu­ra por refei­ções ricas em qua­li­da­de e sabor, apre­sen­ta um mix com ain­da mais opções que aten­dam a dife­ren­tes oca­siões de con­su­mo e ino­vam na hora de ser­vir. “Ali­an­do a qua­li­da­de supe­ri­or e a con­ve­ni­ên­cia, que são carac­te­rís­ti­cas dos pro­du­tos da mar­ca, que­re­mos apro­xi­mar a car­ne suí­na do con­su­mi­dor e mos­trar como seu con­su­mo cabe no dia a dia do bra­si­lei­ro”, res­sal­ta Cecí­lia.

   Den­tro des­sa estra­té­gia, a Sadia expan­diu seu port­fó­lio e apre­sen­tou sete novos cor­tes suí­nos: pica­nha, alca­tra, coxão mole, coxão duro, pati­nho, pon­ta de cos­te­la e copa lom­bo. Além dos lan­ça­men­tos, a mar­ca já está pre­sen­te no vare­jo com duas linhas dedi­ca­das à car­ne suí­na: a Suí­no Fácil – com per­nil, pica­nha e lom­bo – e os Cor­tes Fati­a­dos Sadia, levan­do ao con­su­mi­dor pro­du­tos prá­ti­cos para o dia a dia como lom­bo, filé-mig­non e alca­tra, ampli­an­do a vari­e­da­de de opções da pro­teí­na.