ALE­XAN­DRE
AZZO­NI

SÓCIO DA
PWC BRA­SIL

ACOM­PA­NHAR AS MUDAN­ÇAS NOS PER­FIS DOS CON­SU­MI­DO­RES É O CAMI­NHO PARA POTEN­CI­A­LI­ZAR NEGÓ­CI­OS

Para enten­der melhor o com­por­ta­men­to dos con­su­mi­do­res, des­de 2011 a PwC Bra­sil pas­sou a acom­pa­nhá-los por meio da pes­qui­sa Glo­bal Con­su­mer Insights Sur­vey.

Em nos­sa pri­mei­ra edi­ção, já dizía­mos que o vare­jo seria, em 2020, base­a­do na efi­ci­ên­cia, na cus­to­mi­za­ção e na ino­va­ção. Que uma série de mate­ri­ais grá­fi­cos e inte­ra­ti­vos, base­a­dos numa con­ver­sa per­so­na­li­za­da, apri­mo­ra­ria a expe­ri­ên­cia de com­pra. Além dis­so, que as redes seri­am res­pon­sá­veis por par­te con­si­de­rá­vel das ven­das por meio de seu poder de influ­en­ci­ar e infor­mar de manei­ra dire­ta.

O que os con­su­mi­do­res bra­si­lei­ros dis­se­ram em nos­sas pes­qui­sas duran­te esses anos é que eles gos­ta­ri­am de ter uma jor­na­da de com­pra cada vez mais sua­ve. Para isso, fabri­can­tes, vare­jis­tas e pro­ve­do­res de ser­vi­ço pre­ci­sa­ram se ali­ar para enten­der cada vez mais um con­su­mi­dor exi­gen­te a res­pei­to da vera­ci­da­de de infor­ma­ções, pre­ço, qua­li­da­de do ser­vi­ço e, aci­ma de tudo, res­pon­sa­bi­li­da­de éti­ca, soci­al e ambi­en­tal não ape­nas com seu pro­du­to, mas tam­bém na manei­ra com a qual as empre­sas tra­tam seus fun­ci­o­ná­ri­os.

É váli­do dizer que o futu­ro do con­su­mo no Bra­sil está atre­la­do cada vez mais à ade­são aos mei­os de paga­men­to móveis, aos meca­nis­mos que aju­dam a redu­zir filas den­tro da loja físi­ca, assim como à uti­li­za­ção do machi­ne lear­ning e do analy­tics para com­pre­en­der melhor o hábi­to de cada con­su­mi­dor.

Porém, nenhu­ma tec­no­lo­gia terá efei­to se o vare­jis­ta não enten­der que hoje exis­tem diver­sas comu­ni­da­des e gera­ções coe­xis­tin­do e, com isso, os valo­res que fazem par­te do pro­pó­si­to das empre­sas deve­rão estar mui­to bem fun­da­men­ta­dos e imple­men­ta­dos em sua cul­tu­ra, para que pos­sam rece­ber a admi­ra­ção e o enga­ja­men­to de seus con­su­mi­do­res.