MAR­CE­LO GOMES SODRÉ

Pro­fes­sor da PUC/SP

ANPD:

0 + 0 + 0 = 0

ANPD:

0 + 0 + 0 = 0

ANPD:

0 + 0 + 0 = 0

MAR­CE­LO GOMES SODRÉ

Pro­fes­sor da PUC/SP

MAR­CE­LO GOMES SODRÉ

Pro­fes­sor da PUC/SP

Nos­sa pri­va­ci­da­de está em ris­co a todos os momen­tos e pre­ci­sa­mos de uma rede pro­te­ti­va inde­pen­den­te e mui­to for­te. Não é o que tere­mos”

    “Antes nun­ca do que tar­de”. Foi esta a ideia que veio à minha men­te quan­do, no apa­gar das luzes de Natal, foi edi­ta­da uma Medi­da Pro­vi­só­ria cri­an­do a Auto­ri­da­de Naci­o­nal de Pro­te­ção de Dados, a ANPD. Pre­ci­sa­mos des­te órgão públi­co? Mui­to. Na for­ma em que foi cri­a­do? Jamais. No nos­so Bra­sil, a garan­tia da pri­va­ci­da­de, tal­vez o tema mais impor­tan­te na defe­sa do con­su­mi­dor nos pró­xi­mos dez anos, não teve o tra­ta­men­to mere­ci­do. Nos­sa pri­va­ci­da­de está em ris­co a todos os momen­tos e pre­ci­sa­mos de uma rede pro­te­ti­va inde­pen­den­te e mui­to for­te. Não é o que tere­mos.

   Rela­to dois exem­plos reais rela­ci­o­na­dos ao mun­do dos trans­por­tes: (i) com a entra­da no mer­ca­do dos car­ros inte­li­gen­tes, a indús­tria auto­mo­bi­lís­ti­ca sabe como todos estão diri­gin­do seus veí­cu­los e onde o car­ro está exa­ta­men­te. Recen­te­men­te li notí­cia do pri­mei­ro recall on-line. Mui­tos con­su­mi­do­res nem sou­be­ram que o car­ro tinha um defei­to e que foi con­ser­ta­do. Garan­tia da infor­ma­ção ao con­su­mi­dor: zero; (ii) a linha qua­tro do Metrô de São Pau­lo ins­ta­lou uma câma­ra na entra­da dos trens, iden­ti­fi­can­do as pes­so­as (ida­de, sexo etc.) e regis­tran­do como elas rea­gi­am à publi­ci­da­de que viam. Pri­va­ci­da­de do usuá­rio de um ser­vi­ço públi­co: zero. Foi neces­sá­rio que o IDEC entras­se em juí­zo para que tais câma­ras fos­sem des­li­ga­das.

   E pode­mos pen­sar além do mun­do do con­su­mo: está cada vez mais cla­ro que os polí­ti­cos, Trump é um exce­len­te exem­plo, estão mani­pu­lan­do elei­to­res e cida­dãos por meio das redes soci­ais nos seus pro­je­tos de poder. Ame­ri­ca­nos, chi­ne­ses e rus­sos tra­vam uma silen­ci­o­sa e ocul­ta bata­lha na inter­net. Pobres de nós…

   Por con­ta dis­so tudo, o Bra­sil, mais do que nun­ca, pre­ci­sa­ria de uma Auto­ri­da­de da Inter­net isen­ta dos inte­res­ses comer­ci­ais e dos gover­nos, com uma atu­a­ção emi­nen­te­men­te téc­ni­ca. O que ocor­reu: a ANPD (vamos nos acos­tu­man­do com esta sigla) foi cri­a­da como um órgão liga­do dire­ta­men­te à Pre­si­dên­cia da Repú­bli­ca, o cen­tro das pres­sões e dos dese­jos mui­tas vezes obs­cu­ros… E seus mem­bros serão nome­a­dos dire­ta­men­te pelo Pre­si­den­te da Repú­bli­ca, sem nenhum tipo de con­tro­le soci­al. Inde­pen­dên­cia da Auto­ri­da­de em rela­ção às pres­sões polí­ti­cas e aos inte­res­ses pri­va­dos: zero.

   O que na prá­ti­ca vai ocor­rer é que os órgãos de defe­sa dos con­su­mi­do­res não pode­rão atu­ar dire­ta­men­te para garan­tir a pri­va­ci­da­de das pes­so­as no mer­ca­do de con­su­mo, uma vez que foi cri­a­do o cha­ma­do mono­pó­lio para nada fazer; e a soci­e­da­de civil não terá um ins­tru­men­to para pro­te­ger o cida­dão dos ata­ques e das mani­pu­la­ções que ema­na­rem do pró­prio gover­no. Mui­to tris­te.

   Lem­brei de uma fra­se de nos­so que­ri­do Luis Fer­nan­do Veris­si­mo: “No Bra­sil, o fun­do do poço é ape­nas uma eta­pa”.

Nos­sa pri­va­ci­da­de está em ris­co a todos os momen­tos e pre­ci­sa­mos de uma rede pro­te­ti­va inde­pen­den­te e mui­to for­te. Não é o que tere­mos”