EDI­TO­RI­AL
Meta­mor­fo­se cons­tan­te
Este­la Can­ge­ra­na
Edi­to­ra-che­fe

O SER HUMA­NO É um eter­no insa­tis­fei­to. Quan­do apli­ca­mos essa famo­sa máxi­ma às rela­ções de con­su­mo, abrem-se dois cami­nhos opos­tos: o dos que se con­for­mam com o fato de que nun­ca aten­de­rão ple­na­men­te às expec­ta­ti­vas do con­su­mi­dor, e o dos que usam a insa­tis­fa­ção para pro­mo­ver melho­ri­as cons­tan­tes em uma bus­ca inces­san­te pela qua­li­da­de e exce­lên­cia. É esse segun­do gru­po que cele­bra­mos, mais uma vez, nes­ta edi­ção, com a divul­ga­ção das empre­sas que con­quis­ta­ram o XXI Prê­mio Con­su­mi­dor Moder­no de Exce­lên­cia em Ser­vi­ços ao Cli­en­te

Mais do que nun­ca, em meio a tan­tas trans­for­ma­ções que foram ace­le­ra­das com a pan­de­mia, se faz impor­tan­te reco­nhe­cer as boas prá­ti­cas e os resul­ta­dos posi­ti­vos de quem ousou ir além e se supe­rou. Na visão de cada setor, encon­tra­mos solu­ções ino­va­do­ras, mui­ta cri­a­ti­vi­da­de, novas tec­no­lo­gi­as e, aci­ma de tudo, um olhar sem­pre aten­to para enten­der e ante­ci­par as neces­si­da­des do con­su­mi­dor. É ser capaz de tra­tar cada um como se fos­se úni­co, ain­da que se tenha 70 milhões de cli­en­tes, como no caso do Bra­des­co, um dos gran­des des­ta­ques da pre­mi­a­ção des­te ano. 

Na Entre­vis­ta com o CEO, Octa­vio de Laza­ri, que coman­da a cor­po­ra­ção, con­ta sobre as apos­tas no aten­di­men­to que tem tra­zi­do gran­des resul­ta­dos para as vári­as empre­sas do Gru­po, e refle­te sobre o papel dos líde­res da ini­ci­a­ti­va pri­va­da na soci­e­da­de atu­al. O cami­nho para um futu­ro melhor exi­ge mui­to esfor­ço, mas é igual­men­te recom­pen­sa­dor. 

Não há res­pos­tas pron­tas, nem um pon­to final, espe­ci­al­men­te quan­do fala­mos de rela­ções huma­nas. Novas deman­das sur­gem a cada dia, e o com­por­ta­men­to muda. Algu­mas ten­dên­ci­as ganham for­ça de manei­ra ace­le­ra­da. Uma delas é a valo­ri­za­ção das nos­sas raí­zes, da nos­sa cul­tu­ra, da comu­ni­da­de e do entor­no, o que cha­ma­mos de Lobal, um dos sete arcos temá­ti­cos mape­a­dos pela Con­su­mi­dor Moder­no den­tro do Pro­je­to Iden­ti­da­des, e um dos temas abor­da­dos tam­bém nas pró­xi­mas pági­nas. 

O con­su­mi­dor, em cons­tan­te meta­mor­fo­se, quer mais e mere­ce aten­ção nes­ta e em todas as suas outras deman­das, em uma tro­ca que pre­ci­sa ser jus­ta e segu­ra. As regras des­sa rela­ção vêm sen­do garan­ti­das nos últi­mos 30 anos com uma das legis­la­ções mais bem-suce­di­das do Bra­sil, o Códi­go de Defe­sa do Con­su­mi­dor (CDC). A lei teve um papel impor­tan­te na evo­lu­ção do mer­ca­do bra­si­lei­ro ao lon­go des­se tem­po e, hoje, enfren­ta novos desa­fi­os. Será que pre­ci­sa ser refor­ma­da para aco­mo­dar tópi­cos como comér­cio ele­trô­ni­co, endi­vi­da­men­to e pri­va­ci­da­de? O deba­te, que ganha­rá cor­po em agos­to com o encon­tro vir­tu­al A Era do Diá­lo­go, já tem algu­mas de suas prin­ci­pais ques­tões levan­ta­das nes­ta edi­ção. 

Seja pelo mape­a­men­to das boas prá­ti­cas e do esfor­ço con­tí­nuo das empre­sas, seja pela pro­mo­ção de um ambi­en­te segu­ro para as rela­ções de con­su­mo, a exce­lên­cia no aten­di­men­to ao con­su­mi­dor é e será sem­pre o nos­so tema cen­tral. O cami­nho dos que usam a insa­tis­fa­ção como impul­so pela bus­ca inces­san­te da qua­li­da­de é tam­bém o que nós esco­lhe­mos. 

 

Bons insights!