Cassio Rocha de Azevedo

Cassio Azevedo duran­te cele­bra­ção do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

tri­bu­to

O difícil adeus a um grande amigo

ENQUANTO ESTÁVAMOS NO FRENESI DO pro­ces­so final de ela­bo­ra­ção des­ta edi­ção, fomos sur­pre­en­di­dos com a tris­te notí­cia da pas­sa­gem do nos­so que­ri­do ami­go e par­cei­ro, Cassio Rocha de Azevedo, sócio-fun­da­dor da AeC e da Robbyson.

Cassio foi entu­si­as­ta do melhor aten­di­men­to ao con­su­mi­dor e enten­dia  o impor­tan­te papel dos veí­cu­los de comu­ni­ca­ção do Grupo Padrão.

Ele par­tiu, mas nos dei­xou um lega­do de resi­li­ên­cia. “Ser for­te o sufi­ci­en­te para não que­brar – não ape­nas finan­cei­ra­men­te. Ser capaz de supor­tar as tem­pes­ta­des dobran­do na medi­da exa­ta”, deta­lhou em uma de suas entre­vis­tas aos jor­na­lis­tas da CM.

Essa for­ça e deter­mi­na­ção gui­a­ram o empre­en­de­dor que trans­for­mou o mer­ca­do de rela­ci­o­na­men­to com cli­en­tes, com­bi­nan­do pes­so­as e tec­no­lo­gia com uma sabe­do­ria úni­ca, trans­mi­ti­da para uma empre­sa que é natu­ral­men­te asso­ci­a­da à ale­gria, à inte­li­gên­cia, ao pio­nei­ris­mo e ao domí­nio.

Coragem e ousa­dia foram carac­te­rís­ti­cas pre­pon­de­ran­tes ao minei­ro que esco­lheu a enge­nha­ria como for­ma­ção aca­dê­mi­ca, com uma habi­li­da­de incrí­vel para a ges­tão de pes­so­as. Cassio sabia como nin­guém que a soci­e­da­de e as empre­sas são com­pos­tas por pes­so­as. E, mais, que o Brasil pre­ci­sa de visão estra­té­gi­ca para pros­pe­rar, inclu­si­ve nos rin­cões mais esque­ci­dos.

Foi assim que ele e o sócio Antonio Guilherme Noronha  des­bra­va­ram e cri­a­ram opor­tu­ni­da­des de tra­ba­lho para milha­res de bra­si­lei­ros fora do eixo tra­di­ci­o­nal – hoje, a AeC pos­sui mais de 25 mil cola­bo­ra­do­res – e for­ma­ram líde­res com essa visão.

Cassio Rocha de Azevedo

Cassio Azevedo na sede da Robbyson, empre­sa cri­a­da den­tro da AeC que, hoje,
já é uma uni­da­de de negó­cio inde­pen­den­te

Cassio fala­va com entu­si­as­mo a res­pei­to de como o uso dos dados trans­for­ma­ria a ges­tão de pes­so­as, via­bi­li­zan­do a auto­no­mia, a meri­to­cra­cia e o reco­nhe­ci­men­to, com base em um sis­te­ma jus­to e equi­li­bra­do, sem viés. Com a Consumidor Moderno, ele levou essa pers­pec­ti­va para o pal­co, para as telas, transformando‑a em áudio, vídeo, pala­vras.

Com um papel impor­tan­te no desen­vol­vi­men­to do tele­a­ten­di­men­to no Brasil, pas­sou a se dedi­car ao mer­ca­do ao tor­nar-se pre­si­den­te da Associação Brasileira de Telesserviços (ABT). A sua expe­ri­ên­cia no setor pri­va­do o levou à esfe­ra polí­ti­ca, como secre­tá­rio de Desenvolvimento Econômico de Romeu Zema (Novo) e, em sua cur­ta pas­sa­gem, dei­xou um lega­do. Em sua jor­na­da, ele con­se­guiu trans­for­mar a vida de mui­tas pes­so­as.

Assim como nós, da Consumidor Moderno, aque­les que con­vi­ve­ram, conhe­ce­ram, com­par­ti­lha­ram, sor­ri­ram e apren­de­ram com Cassio Azevedo estão sau­do­sos, mas tam­bém orgu­lho­sos de poder levar adi­an­te um lega­do de amor e dedi­ca­ção.

Cassio Rocha de Azevedo

Da esquer­da para direi­ta: Antonio Guilherme, sócio da AeC;
Roberto Meir, CEO do Grupo Padrão, e Cassio