OPOR­TU­NIS­MO PER­CE­BI­DO

   No Bra­sil, o con­su­mo moti­va­do pela con­vic­ção está aci­ma da média mun­di­al. E as empre­sas que pisam na bola têm, mais do que nun­ca, razão para se pre­o­cu­par. Uma pes­qui­sa da Box1824 em par­ce­ria com a con­sul­to­ria McKin­sey mos­tra que 80% dos con­su­mi­do­res bra­si­lei­ros dei­xam de com­prar pro­du­tos de empre­sas envol­vi­das em escân­da­los e, des­tes, 60% advo­gam con­tra a mar­ca. “Seja obce­ca­do com a qua­li­da­de e a segu­ran­ça dos seus pro­du­tos pois, caso eles sejam ruins, em bre­ve todos sabe­rão dis­so”, dis­se Lubo­mi­ra Rochet, CDO da L´Oréal Paris, duran­te o Fes­ti­val de Can­nes na Fran­ça.

   Ela tem razão. Os con­su­mi­do­res estão, mais do que nun­ca, de olho no que as mar­cas andam fazen­do e em como elas vêm se posi­ci­o­nan­do. Algu­mas já apren­de­ram que a cau­sa não é delas, mas sim da soci­e­da­de. Apren­de­ram tam­bém que se paga um pre­ço alto ao ten­tar se apro­pri­ar de algo que não é genuí­no. E que o “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” não pas­sa mais des­per­ce­bi­do. O ter­mo diver­sity washing mes­mo foi cri­a­do para iden­ti­fi­car ações de com­pa­nhi­as, gover­nos e ins­ti­tui­ções que se apro­pri­am de ques­tões rela­ci­o­na­das à diver­si­da­de ape­nas para ganhar visi­bi­li­da­de.

O ter­mo diver­sity washing foi cri­a­do para iden­ti­fi­car ações de com­pa­nhi­as, gover­nos e ins­ti­tui­ções que se apro­pri­am de ques­tões rela­ci­o­na­das à diver­si­da­de ape­nas para ganhar visi­bi­li­da­de”

   Além dis­so, é bom que as empre­sas sai­bam que os con­su­mi­do­res cobram delas mais pro­ta­go­nis­mo. Uma pes­qui­sa recen­te mos­tra que 60% dos bra­si­lei­ros espe­ram que os CEOs lide­rem as mudan­ças na soci­e­da­de em vez de espe­rar que o gover­no as impo­nha. Em tem­pos de empo­de­ra­men­to femi­ni­no, diver­si­da­de e enga­ja­men­to polí­ti­co, nos­sa maté­ria de capa traz entre­vis­tas com espe­ci­a­lis­tas e mar­cas que já enten­de­ram que não se posi­ci­o­nar já é um posi­ci­o­na­men­to.

   Nas pró­xi­mas pági­nas, você con­fe­re ain­da a cober­tu­ra com­ple­ta do Prê­mio Con­su­mi­dor Moder­no de Exce­lên­cia em Ser­vi­ços ao Cli­en­te, o deba­te em tor­no da regu­la­ção de algo­rit­mos e uma pro­vo­ca­ção sobre o que pode ser encon­tra­do – e apro­vei­ta­do – na deep web.

Boa lei­tu­ra!
Gabri­el­la San­do­val
Edi­to­ra-che­fe