Muril­lo Pio­trovs­ki, CEO da Grand­Vi­si­on by Foto­ti­ca

UM NOVO OLHAR SOBRE UM MER­CA­DO TRA­DI­CI­O­NAL

A GRAND­VI­SI­ON BY FOTO­TI­CA POS­SUI MODE­LOS DE LOJA E EXPE­RI­ÊN­CI­AS QUE TRANS­FOR­MA­RAM A RELA­ÇÃO DO CON­SU­MI­DOR COM A REDE DE ÓTI­CAS

POR MELIS­SA LULIO

s moti­vos vari­am, mas é difí­cil encon­trar quem não tenha se dedi­ca­do a encon­trar um par de ócu­los pre­fe­ri­do ao lon­go da vida. Seja para enxer­gar melhor, seja para lidar com o sol, a ver­da­de é que há cada vez mais pes­so­as optan­do pelo uso des­se aces­só­rio. Pro­va dis­so é que, segun­do a Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra das Indús­tri­as Ópti­cas (Abióp­ti­ca), em 2017 o setor cres­ceu 7,4%.

   A ten­dên­cia é que os núme­ros rela­ci­o­na­dos ao setor sigam em ascen­são. De acor­do com o Ame­ri­can Jour­nal of Ophthal­mo­logy, 49,8% da popu­la­ção de todo o mun­do, ou apro­xi­ma­da­men­te 4,8 bilhões de pes­so­as, pre­ci­sa­rá usar ócu­los devi­do a algu­ma defi­ci­ên­cia visu­al até o ano de 2050. Esse dado, natu­ral­men­te, acom­pa­nha­rá a evo­lu­ção das exi­gên­ci­as e deman­das dos con­su­mi­do­res, ou seja, as empre­sas que atu­am no setor pre­ci­sa­rão con­ti­nu­ar se atu­a­li­zan­do.

   Não é por aca­so que o estu­do no qual se baseia o Prê­mio Con­su­mi­dor Moder­no de Exce­lên­cia em Ser­vi­ços ao Cli­en­te já mapeia o desem­pe­nho de quem ofe­re­ce pro­du­tos e ser­vi­ços óti­cos. Em 2019, a ven­ce­do­ra no setor foi a Grand­Vi­si­on by Foto­ti­ca, empre­sa pre­sen­te em mais de 44 paí­ses. Natu­ral­men­te, a vitó­ria da empre­sa envol­ve a dedi­ca­ção a aspec­tos como expe­ri­ên­cia do cli­en­te, ino­va­ção, trans­pa­rên­cia e comu­ni­ca­ção

AO CON­TRÁ­RIO DE ÓTI­CAS TRA­DI­CI­O­NAIS, A GRAND­VI­SI­ON BY FOTO­TI­CA PER­MI­TE QUE O CLI­EN­TE MANU­SEIE, ESCO­LHA, E TES­TE OS ÓCU­LOS

   Como expli­ca o CEO, Muril­lo Pio­trovs­ki, esse é um mer­ca­do que ain­da atua de for­ma mui­to tra­di­ci­o­nal. Não é um cos­tu­me, por exem­plo, que as óti­cas dei­xem os pro­du­tos à dis­po­si­ção do con­su­mi­dor. Mas, na Grand­Vi­si­on, a rea­li­da­de é outra: nas lojas, o cli­en­te pode manu­se­ar, esco­lher, tes­tar e ana­li­sar os ócu­los, tan­to os de grau quan­to os de sol. As infor­ma­ções, como pre­ços e carac­te­rís­ti­cas dos pro­du­tos, tam­bém estão dis­po­ní­veis de for­ma cla­ra. “Pro­cu­ra­mos ofe­re­cer aces­si­bi­li­da­de total na loja”, expli­ca o CEO. E, caso o cli­en­te pre­ci­se de auxí­lio, há sem­pre um con­sul­tor à dis­po­si­ção.

   O con­sul­tor, inclu­si­ve, é par­te essen­ci­al da expe­ri­ên­cia. Pio­trovs­ki afir­ma que exis­te um pro­to­co­lo de qua­tro pas­sos, no qual cada aspec­to da vivên­cia do cli­en­te den­tro da loja é tra­ba­lha­do. Para que cada eta­pa seja bem desen­vol­vi­da, o CEO expli­ca que o con­sul­tor pre­ci­sa ter conhe­ci­men­to pro­ces­su­al e téc­ni­co para con­se­guir ofe­re­cer o melhor ser­vi­ço pos­sí­vel. O pro­to­co­lo envol­ve uma lim­pe­za dos ócu­los atu­ais, aju­da na esco­lha da arma­ção ide­al de acor­do com o for­ma­to do ros­to do cli­en­te e de seu gos­to pes­so­al e, além dis­so, ofe­re­ce um bônus para o segun­do par de ócu­los.

EXPE­RI­ÊN­CIA EM ETA­PAS

   A dedi­ca­ção à garan­tia de qua­li­da­de em toda a jor­na­da do cli­en­te tam­bém é uma rea­li­da­de. “Nós temos uma bus­ca inces­san­te pela exce­lên­cia em pres­ta­ção de ser­vi­ços”, afir­ma o CEO. Isso pas­sa inclu­si­ve pela trans­pa­rên­cia e pela efi­ci­ên­cia, o que abran­ge todas as eta­pas da cadeia de pro­du­ção. “Temos labo­ra­tó­rio e cen­tro de dis­tri­bui­ção pró­pri­os, o que nos per­mi­te ter domí­nio com­ple­to da cadeia de pro­du­ção”, expli­ca.

   Para que o cli­en­te tenha domí­nio do pro­ces­so, a empre­sa pos­si­bi­li­ta que o cli­en­te acom­pa­nhe a pro­du­ção dos ócu­los pelo site. O acom­pa­nha­men­to no pós-ven­da tam­bém envol­ve dedi­ca­ção: a Grand­Vi­si­on relem­bra o cli­en­te, por exem­plo, do momen­to em que pre­ci­sa visi­tar o oftal­mo­lo­gis­ta.

   Além dis­so, a empre­sa con­ta com gri­fes exclu­si­vas, o que repre­sen­ta gran­de par­te das ven­das. Esse mode­lo traz ain­da mais segu­ran­ça para a Grand­Vi­si­on. Em bre­ve, a empre­sa pre­ten­de entrar no e‑commerce.