Vicente Carvalho
PERSONALIDADE

Uma flor no asfalto digital

Transformar a vida das pessoas a partir de histórias tornou-se a missão de Vicente Carvalho, fundador do portal Razões para Acreditar e da plataforma de financiamento coletivo VOAA

Por Raisa Covre

Consumidor Moderno – O que te ins­pi­rou a cri­ar o Razões para Acreditar?

VICENTE CARVALHO – Em 2012, eu esta­va bas­tan­te inco­mo­da­do com o que as pes­so­as publi­ca­vam, prin­ci­pal­men­te no Facebook, sem­pre bri­gan­do, dis­cu­tin­do, nada mui­to efe­ti­vo para mudar algu­ma coi­sa. Foi quan­do uma ami­ga publi­cou uma refle­xão mui­to legal e eu comen­tei “exis­tem razões para acre­di­tar”. Basicamente daí veio a ideia de cri­ar o Razões, um espa­ço para con­tar his­tó­ri­as boas, divul­gar o posi­ti­vo e trans­for­mar num impul­so para ins­pi­rar as pes­so­as a par­tir de peque­nos ges­tos.

CM – A Voaa já esta­va em sua men­te no iní­cio do Razões?
O que te levou a cri­ar a ini­ci­a­ti­va?

VC – A VOAA não esta­va pre­vis­ta, mas em 2019, quan­do con­ta­mos a his­tó­ria de um guar­da­dor de car­ros do Rio de Janeiro, o caso nos ins­pi­rou a cri­ar uma vaqui­nha pró­pria. Na épo­ca, nós fize­mos uma movi­men­ta­ção para com­prar uma casa para ele em uma outra pla­ta­for­ma e isso vira­li­zou, mui­ta gen­te quis aju­dar. A par­tir daí, vimos uma nova mis­são. Entendemos que não é só con­tar his­tó­ri­as ins­pi­ra­do­ras, mas tam­bém aju­dar a trans­for­mar a vida das pes­so­as por meio do finan­ci­a­men­to cole­ti­vo.

CM – Para você, qual É A impor­tân­cia de man­ter um por­tal de temá­ti­ca posi­ti­va no momen­to atu­al?

VC – Acredito que é impor­tan­te dimi­nuir a sen­sa­ção de que só coi­sas ruins acon­te­cem. Temos uma gran­de mídia em que o que é sele­ci­o­na­do para ser publi­ca­do tem sem­pre um viés nega­ti­vo, o que traz essa sen­sa­ção. E não é ver­da­de. As coi­sas boas, mes­mo que sim­ples, acon­te­cem o tem­po todo em nos­so coti­di­a­no, mas não viram notí­cia. No momen­to atu­al, mais do que nun­ca se faz neces­sá­rio esse con­ta­to, até pela saú­de men­tal das pes­so­as.