Caio M. Sér­gio, dire­tor-geral da Inte­ra­xa

WHAT­SAPP É O CANAL IDE­AL PARA UM RELA­CI­O­NA­MEN­TO INES­QUE­CÍ­VEL

CONHE­ÇA UMA DAS EMPRE­SAS QUE, COMO PAR­CEI­RA OFI­CI­AL DO APP DE MARK ZUC­KER­BERG, POS­SI­BI­LI­TA­RÁ O USO DO WHAT­SAPP COR­PO­RA­TI­VO

Por Rai­sa Covre

What­sApp é o apli­ca­ti­vo mais uti­li­za­do pelos bra­si­lei­ros. Por mais óbvia que essa per­cep­ção pare­ça, o fato é que exis­tem dados que com­pro­vam essa rea­li­da­de: uma pes­qui­sa da Conec­taí, rea­li­za­da no fim do ano pas­sa­do, apon­ta que 91% dos inter­nau­tas têm a fer­ra­men­ta ins­ta­la­da em seu smartpho­ne.

   Se ima­gi­nar­mos o app como um canal de aten­di­men­to, por­tan­to, as opor­tu­ni­da­des iden­ti­fi­ca­das para as empre­sas são enor­mes. Porém, este é um movi­men­to que deman­da cui­da­do – e essa é uma gran­de pre­o­cu­pa­ção do pró­prio What­sApp.

   Por isso, a empre­sa pro­cu­rou par­cei­ros para via­bi­li­zar esse novo momen­to. É o caso da inte­gra­do­ra glo­bal de tec­no­lo­gi­as para aten­di­men­to e rela­ci­o­na­men­to Inte­ra­xa, que pas­sou a ofe­re­cer às empre­sas-cli­en­te uma fer­ra­men­ta ofi­ci­al de aten­di­men­to por meio do What­sApp Busi­ness.

   Nos últi­mos dois anos, todas as gran­des empre­sas per­ce­be­ram o poten­ci­al do canal e come­ça­ram a cri­ar solu­ções não ofi­ci­ais para uti­li­zar o app como fer­ra­men­ta de aten­di­men­to. Isso por­que o What­sApp não per­mi­tia que as mar­cas entras­sem em con­ta­to com seus cli­en­tes pela pla­ta­for­ma. Quan­do isso acon­te­cia, o núme­ro em ques­tão era blo­que­a­do.

   A par­tir do lan­ça­men­to ofi­ci­al do What­sApp Busi­ness, porém, isso mudou. “O What­sApp per­ce­beu todo o seu poten­ci­al e vai dis­po­ni­bi­li­zar uma solu­ção ofi­ci­al para as orga­ni­za­ções inte­res­sa­das em uti­li­zar o app como canal de aten­di­men­to”, expli­ca Mar­ce­lo Viei­ra, dire­tor de Mar­ke­ting da Inte­ra­xa.

   A espe­ci­a­lis­ta em tec­no­lo­gia será indi­ca­da pela pró­pria com­pa­nhia de Mark Zuc­ker­berg para as orga­ni­za­ções que se inte­res­sa­rem pelo uso da pla­ta­for­ma. Toda­via, não bas­ta que as empre­sas sim­ples­men­te quei­ram usar a nova pla­ta­for­ma. O What­sApp vai ana­li­sar as mar­cas inte­res­sa­das rigo­ro­sa­men­te para garan­tir que o aten­di­men­to pres­ta­do seja real­men­te bom, pres­ta­ti­vo e cômo­do para o cli­en­te. Fora isso, é impres­cin­dí­vel que as empre­sas não inco­mo­dem os con­su­mi­do­res – caso con­trá­rio, o uso não será per­mi­ti­do.

É fun­da­men­tal que as empre­sas enten­dam que
é neces­sá­rio pre­pa­ro para ter a opor­tu­ni­da­de
de uti­li­zar o What­sApp Busi­ness”

Caio M. Sér­gio, dire­tor-geral da Inte­ra­xa

ESCO­LHI­DAS A DEDO   

   Como res­sal­ta Caio M. Sér­gio, dire­tor-geral da Inte­ra­xa, é fun­da­men­tal que as empre­sas enten­dam que é neces­sá­rio pre­pa­ro para ter a opor­tu­ni­da­de de uti­li­zar o What­sApp Busi­ness. A sele­ção do app será rigo­ro­sa, e ape­nas as mar­cas que pro­va­rem a capa­ci­da­de de pro­ver um bom aten­di­men­to terão a opor­tu­ni­da­de de aden­trar nes­te novo canal de rela­ci­o­na­men­to.

   “O What­sApp sabe que é uma esco­lha natu­ral do usuá­rio final; é o app mais que­ri­do da atu­a­li­da­de. A empre­sa não vai cor­rer o ris­co de per­der a pre­fe­rên­cia do usuá­rio final por cul­pa de aten­di­men­tos ruins”, garan­te. Uti­li­zar a pla­ta­for­ma para inco­mo­dar o cli­en­te, envi­ar pro­mo­ções ou rea­li­zar ações que podem ser con­si­de­ra­das como “spam” está total­men­te fora de cogi­ta­ção.

   Mes­mo com o lan­ça­men­to ofi­ci­al, as empre­sas serão incor­po­ra­das ao What­sApp Busi­ness aos pou­cos. Ape­nas algu­mas terão a opor­tu­ni­da­de de tes­tar. “A empre­sa não vai libe­rar para todo mun­do por­que se o aten­di­men­to ofe­re­ci­do pelas mar­cas não for encan­ta­dor não serão sim­ples­men­te as mar­cas que fica­rão man­cha­das, mas o pró­prio app”, expli­ca Viei­ra. De fato, difi­cil­men­te Zuc­ker­berg per­mi­ti­ria que tal coi­sa acon­te­ces­se. Até mes­mo a pri­mei­ra men­sa­gem de con­ta­to da mar­ca com seus cli­en­tes pas­sa­rá pela apro­va­ção do What­sApp Busi­ness.

PRE­PA­RO

   Garan­tir a pre­sen­ça nes­se canal, por­tan­to, deman­da esfor­ço das empre­sas. Por já ter con­ta­to com o What­sApp há alguns anos, a Inte­ra­xa desen­vol­veu uma fer­ra­men­ta que per­mi­te a inte­gra­ção com­ple­ta dos canais de aten­di­men­to das empre­sas. A com­pa­nhia é uma das par­cei­ras ofi­ci­ais para toda a Amé­ri­ca Lati­na. “Cri­a­mos a WAAP, uma solu­ção com­ple­ta e inte­gra­da, com analy­tics, machi­ne lear­ning e pos­si­bi­li­da­de de uso de chat­bots”, expli­ca o dire­tor-geral. “A ideia é entre­gar, de fato, uma expe­ri­ên­cia agra­dá­vel para os con­su­mi­do­res”.